Datasort

  Faq´s do Sistema Integrado GECLIM

CLIENTES    
ADMINISTRAÇÃO    
FATURAMENTO    
  FATURAMENTO Geral
  FATURAMENTO Tabelas
  FATURAMENTO Taxas
  FATURAMENTO Materiais
  FATURAMENTO Codigos
  FATURAMENTO Convenio
  FATURAMENTO Reembolso
  FATURAMENTO Arquivos XML
  FATURAMENTO Cirurgias
  FATURAMENTO Glosas
  FATURAMENTO TUSS
RECEPÇÃO    
CONSULTORIO    
EQUIPAMENTOS    
BANCO DE DADOS    
INSTALAÇÃO GECLIM    
CIRURGIA    
COMUNICAÇÃO    
REDES    
RELATORIOS    
MATERIAIS    
MENSAGENS    
PRONTUÁRIO    
MANUAIS    
TUTORIAIS    
PAINEL    

      

 

CLIENTES

Seguem abaixo, alguns clientes da Datasort:

      

 

ADMINISTRAÇÃO

ADM1P) Onde são alterados os dados CNES e o CNPJ da empresa no sistema ?
ADM1R) A alteração deverá ser feita no módulo SLFWO (Faturamento) na opção UTILITARIOS ->IDENTIFICAÇÃO.

ADM2P) Veja a seguir, as novidades da nova versão do TISS 3.0

Nova versão traz algumas novidades, entre elas a rastreabilidade das faturas eletrônicas e a inclusão das terminologias em saúde e seus códigos unificados nas guias.

A Comissão de Estudo Técnico TISS realizou a terceira edição do Implanta TISS – TUSS, na última segunda-feira (19), em São Paulo. O tema central do evento foi a nova versão da TISS, a de número 3.0, que deverá ser lançada no final de abril, segundo o gerente geral de Integração Setorial da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Antonio Carlos Endrigo.


A nova versão traz algumas novidades, entre elas a rastreabilidade das faturas eletrônicas – que permitirá aos prestadores identificar as guias pagas e as glosadas – e a inclusão das terminologias em saúde e seus códigos unificados nas guias.


A ANS publicará uma Resolução Normativa disponibilizando a versão 3.0 da TISS, além de definir prazos para adequação às novas regras. A partir da nova versão e da validação da futura resolução, todas as guias trocadas entre prestadores e operadoras de planos de saúde deverão ser enviadas para a agência.


Outra medida será a realização de oficinas de treinamento sobre o novo programa, desta vez com especial enfoque nas empresas de tecnologia envolvidas no processo de transferência de dados.


Para o representante da Orizon, Sérgio Santos, a versão 3.0 deve ser mais atrativa, porque traz mais benefícios às instituições. Segundo ele, a possibilidade de rastreabilidade das guias é um forte argumento para que o mercado adote rapidamente a nova versão.


TUSS

Até o momento, às vésperas do lançamento, Terminologia Unificada da Saúde Suplementar conta com 108.378 termos codificados. Segundo Antonio Carlos Endrigo, a agência ainda não sabe se vai conseguir lançar a nova versão contemplando todos os códigos, ou se terá que deixar de fora os
materiais, as órteses e as próteses. A dificuldade, segundo ele, é a diversidade de fornecedores de cada produto, as combinações possíveis entre os tipos de produtos e a relação desses códigos com a precificação.

 

ADM3P) Raio X Digital - Programa PACS

ADM3R) O Pacs pode ser fornecido pela WTT e Bird  Solutions. O Telefone para contato é 5016-5509 ou celular 8309-1278 (Eduardo).

Segundo alguns clientes, esse Pacs é modular e precisa ser definido o que se deseja: integração ao sistema datasort, impressão do raio-x em filme, impressão do raio-x em papel, gravação do exame em cd, etc. Em alguns clientes, raio-x é impresso em papel e está integrado ao nosso sistema, funcionando muito bem.

      

 

FATURAMENTO Geral

FATG1P) Na hora de fechar o faturamento existe um procedimento cirúrgico e o relatório não esta enxergando esse procedimento. O que está acontecendo ?
FATG1R) Os procedimentos de CIRURGIA devem ser inclusos no faturamento pelo setor de FATURAMENTO, diariamente. O que aconteceu é que estas cirurgias, não foram lançadas no faturamento (assim como os procedimentos consulta, RX, etc..., de um paciente) pelo setor responsável.

FATG2P) Como funciona a rotina de faturamento do Sistema Integrado Datasort ?
FATG2R) Vamos mostrar o funcionamento da rotina de faturamento do Sistema Integrado Datasort, instalado em sua empresa.

Os cuidados que devemos ter, para que a rotina de faturamento seja bem sucedida é:

1)Os Convênios devem estar corretamente cadastrados e com os seus respectivos preços; 

2)Tabelas AMB, AMB92, AMB 96, CIEFAS, CIEFAS2000, etc..., estejam com seus preços cadastrados/checados

3) As taxas de salas estejam devidamente cadastradas e com seus preços cadastrados/checados;

4) Os materiais, medicamentos e kits, estejam devidamente cadastrados e com seus preços atualizados.

 
Podemos afirmar que, o fato de algum ou alguns médicos não utilizarem o Sistema Integrado Datasort no consultório, NÃO IMPEDE que o faturamento de sua empresa seja feito pelo Sistema Integrado Datasort.

Como isso é possível ?

Vamos lá...

O setor de faturamento recebe as guias/fichas de atendimento dos pacientes atendidos e o setor de faturamento / faturista efetua o faturamento, paciente por paciente, através da rotina manual de faturamento, fazendo uso das opções a seguir, constante do módulo de Recepção / Faturamento, SLFWO, do Sistema Integrado Datasort;

1) F8 - procurar o paciente
2) Escolher o procedimento a faturar
3) Opção FATURAMENTO / Alterar
4) Confirmar / Incluir dados apresentados na aba IDENTIFICAÇÃO
5) Na aba PROCEDIMENTOS , informar as consultas, procedimentos, etc...,

PRONTO...
RESULTADO: O paciente já está pré-faturado.

Para o efetivo fechamento de um CONVÊNIO basta utilizarmos a opção:

FATURAMENTO: Relatório de Fechamento > escolher convenio > período de fechamento > etc...e...

PRONTO...
RESULTADO - Convênio Faturado.
Salientamos que a utilização dos manuais abaixo,
Faturaconv.pdf - referente a rotina de faturamento de convênios médicos;
Faturapart.pdf - referente a rotina de faturamento de pacientes particulares.
explicam, DETALHADAMENTE, a rotina de faturamento.

Ressaltamos que, o Sistema Integrado Datasort, encontra-se TOTALMENTE estruturado para geração de arquivos XML, padrão TISS e que várias empresas vem fazendo, com sucesso, uso destas rotinas.

FATG3P) Fechei a conta de um convênio, encaminhando-a para o histórico. Como faço para extornar esta conta?
FATG3R) No módulo SLFWO, vá para FATURAMENTO>RESUMO>Escolha o número de lote a ser excluído>RESUMO>excluir. Cuidado na utilização desta opção, pois, os pacientes constantes de lotes regenerados em poderão fazer parte do novo lote a ser gerado.

FATG4P) Relativo a FATURAMENTO - QUEBRA DE PÁGINA - Para que serve este campo?
FATG4R) Este campo, quebra de página, caso exista ,é obsoleto e deve-se deixar 'N'.

FATG5P) Relativo a FATURAMENTO - NÚMERO DE REMESSA
FATG5R) O nº de remessa é gerado automaticamente. Deve-se informar o valor no campo Nº Remessa (tabelas / honorários, F5, aba Faturamento) somente se desejar enviar o faturamento a partir de um determinado nº de remessa.

FATG6P) Relativo a FATURAMENTO - IMPOSTOS - O IR descontará acima de R$ 10,00 e o tributo acima de R$5.000,00, ou não importa o valor?
FATG6R) Se for informado um valor diferente de zero nos campos I.R.R.F (%) e Retenções (%), o valor correspondente será informado na carta remessa da seguinte maneira: no caso do IRRF, sempre (independe do valor); no caso das retenções, somente se o valor da remessa for maior do que R$ 5.000,00.

FATG7P) Relativo a FATURAMENTO - PERÍODO DE REAJUSTE
FATG7R) Este campo só serve para efeito de cadastro e não precisa ser informado.

FATG8P) Relativo a FATURAMENTO - UNIDADES AUTORIZADAS
FATG8R) Este campo só serve para efeito de cadastro e não precisa ser informado.

 

FATG9P) Relativo a FATURAMENTO - FECHAMENTO/ENTREGA/PERÍODO DE FATURAMENTO/E RECEBIMENTO
FATG9R) Estes campos só servem para efeito de cadastro e não precisam ser informados.

FATG10P) Relativo ao campo COBRAR RECEP - O que é isso?
FATG10R) O campo Cobrar Recep serve para indicar se a consulta / exame / procedimento deverá ser cobrada pela recepção (por exemplo Nipomed, Sinam, etc) ou pelo faturamento.

FATG11P) Relativo a MATERIAIS - Precisa-se cadastrar outras tabelas, EX: SÍMPRO, APAMO 2007. Como fazer?
FAT11GR) A tabela SIMPRO é uma tabela de preços de materiais e seu valor deve ser informado em tabelas / materiais / alterar ou incluir novo preço no campo SIMPRO R$; a tabela APAMO 2007 (ou ACOESP 2007) é uma tabela de kits / quantidades de materiais utilizados nos diversos procedimentos e deve ser cadastrada em tabelas / materiais, aba Kits: primeiro inclui-se um conjunto de materiais )kit / incluir conjunto), depois inclui-se o kit (kit / incluir kit) e por fim informam-se os materias que compoem o kit (kit / incluir material kit).

FATG12P) Relativo aos campos SOLICITAR GUIA / EMITIR GUIA
FATG12R) Estes campos estão obsoletos (eram da época pré-TISS).

FATG13P) Referente aos VALORES das TABELAS utilizadas pelo Sistema, como criar uma tabela cujo os valores estejam em R$?
FATG13R) No caso de Acupuntura, RPG (e outros procedimentos que tenham seu valor em R$) deve-se criar uma tabela específica para isso: tabelas / honorários, aba Tabelas, opção tabela / incluir (campo tabela = R$, campo padrão = N) e depois incluir os procedimentos desejados nessa tabela (opção procedimento / incluir).

FATG14P) E no campo GUIA CO? - Se colocarmos S(sim), as consultas vão ficar separadas das SADT?
FATG14R) O campo Guia CO serve para indicar se o convênio utiliza a guia de consulta para consultas simples; se for informado S, as consultas simples (sem procedimentos) serão cobradas na guia de consulta e as consultas com procedimentos serão cobradas na guia de sp/sadt; se for informado N, todas as consultas (inclusive as consultas sem procedimento) serão cobradas na guia de sp/sadt; o sistema nunca separa as consultas dos procedimentos pois isso fere as normas do TISS.

      

 

FATURAMENTO Tabelas

FATTAB1P) O Sistema Integrado Datasort, prevê arredondamentos?
FATTAB1R) Na elaboração do sistema foi adotado o processo de arredondamento matemático (arredondamento estatístico), por exemplo o numero 17,537 com 3 casas decimais é arredondado para 17,54 com duas casas decimais.

      

 

FATURAMENTO Taxas

FATTAX1P) Relativo a CÓDIGOS - TAXA DE SALA - Como fazer quando temos mais de uma taxa de sala?
Ex.: Taxa de Sala de Curativo Pequeno / Taxa de Sala de Curativo Médio / Taxa de Sala de Curativo Grande / e etc...
FATTAX1R) Caso haja mais de um código próprio para taxas deve-se criar uma tabela própria de taxas, informando o código de cada uma delas (as taxa são cadastradas em tabelas / honorários, aba Taxas; podem ser cadastradas quantas taxas forem necessárias).

FATTAX2P) Relativo as TAXAS - Como são cadastradas?
FATTAX2R) As taxas são cadastradas em tabelas / honorários, aba Taxas; podem ser cadastradas quantas taxas forem necessárias.

      

 

FATURAMENTO Materiais

FATMAT1P) Na alimentação do programa na janela parâmetros, na opção preço qual a tabela que se refere:
FATMAT1R) Os preços 1,2,3,4,5,etc referem-se aos campos para informar os preços dos materiais; podem ser utilizados para qualquer coisa.


O "padrão" sugerido é:
1- tabela apamo 1997
2- tabela apamo 1999
3- tabela apamo 2002
4- livre
5- livre
P- particular
S- simpro / brasindice

      

 

FATURAMENTO Codigos (Ex. Filmes)

FATCOD1P) Relativo aos CÓDIGOS - FILMES - Como podem ser cadastrados?
FATCOD1R) Pode-se informar um código de filme por convênio (opçao: tabelas / honorários, F5, aba Códigos, campo Filmes).

FATCOD2P) Relativo a CÓDIGO - O que é esse campo?
FATCOD2R) No campo Código (tabelas / honorários, aba Parâmetros) deve ser informado qual código de material deve ser informado no arquivo XML TISS (a opção mais comum é deixar em branco; neste caso será gravado o código interno gerado pelo sistema).

      

 

FATURAMENTO Convenio

FATCONV1P) Cada convênio tem seu CÓDIGO específico, e as guias TISS na hora de imprimirmos vem somente com o CNPJ. Eles não aceitam. O que fazer ?
FATCONV1R) Basta acessar TABELAS > HONORÁRIOS > Selecionar o Convênio > F5 > PARÂMETROS  e informar o CÓDIGO existente, no campo MATRÍCULA.

FATCONV2P) Fechei a conta de um convênio, encaminhando-a para o histórico. Como faço para extornar esta conta?
FATCONV2R) No módulo SLFWO, vá para FATURAMENTO>RESUMO>Escolha o número de lote a ser excluído>RESUMO>excluir. Cuidado na utilização desta opção, pois, os pacientes constantes de lotes regenerados em poderão fazer parte do novo lote a ser gerado.

      

 

FATURAMENTO Reembolso

FATREEMB1P) O Sistema Integrado Datasort prevê a rotina de reembolso ?
FATREEMB1R) A rotina de reembolso, funciona como um particular (emite o recibo através do F9). Em seguida basta acessarmos a opção UTILITÁRIOS>IMPRIMIR TERMOS REEMBOLSO.

      

 

FATURAMENTO Arquivos XML

FATXML1P) Foram feitos testes dos arquivos XML a serem enviados em um programa de validação da Tivit e surgiram os seguintes erros abaixo:

Validando arquivo #1: SUL AM_HI.xm.

ERRO: 18 || 45 || cvc-enumeration-valid: Valor '2.01.02' não corresponde às opções '[2.01.01]'

FATXML1R) O que fazer ?

O programa da Tivit não deve ser usado para validação, pois ele está no padrão antigo (Ex. 2.0.01) e não no padrão (Ex. 2.01.02). Caso você queira validar o arquivo XML gerado, use um dos endereços abaixo:

http://tools.decisionsoft.com/schemaValidate/
http://evandro.net/tiss/tiss.php
http://www.geap.com.br

FATXML2P) O arquivo XML enviado pela empresa está com problema na tag origem, conforme modelo abaixo.

Recebido: <ans:codigoPrestadorNaOperadora>64616998000136</ans:codigoPrestadorNaOperadora>

Quando a informação for um CNPJ deve vir conforme o modelo abaixo, caso contrário o sistema não consegue identificar o prestador.

<ans:CNPJ>64616998000136</ans:CNPJ>

FATXML2R) O que fazer?

No caso em que NÃO há CÓDIGO do convênio e você precisa usar o CNPJ, o campo MATRÍCULA no cadastro do convênio NÃO deve ser preenchido. Assim o sistema grava o arquivo XML com a tag CNPJ correta (se esse campo for preenchido, o sistema pensa que o valor é o código ...).

FATXML3P) Um convênio médico solicitou que as consultas sem procedimento saiam em um arquivo XML à parte. O que fazer?
FATXML3R) Basta ir em TABELAS>HONORÁRIOS, posicionar o cursor sobre o convênio desejado (pressionando duas vezes a tecla de escolha do mouse sobre o convênio desejado), teclar F5 (alterar), conforme as opções a seguir:

Guia CO = “S” e Separar Consultas = “N” - Grava somente o arquivo XML Guias de Consulta

Guia CO = “S” e Separar Consultas = “S” - Grava o arquivo XML Guias de Consulta (incluindo as consultas geradas com procedimentos) e grava arquivo Guias SADT (somente com procedimentos).

Guia CO = “N” e Separar Consultas = “S” - Grava somente o arquivo XML Guias SADT

Guia CO = “N” e Separar Consultas = “N” - Opção inexistente

      

 

FATURAMENTO Cirurgias

FATCIRU1P) No cálculo de cirurgias, a regra diz que a cirurgia principal é paga 100% (apto valor dobrado - enfermaria valor simples) e para as cirurgias secundárias é pago 50% se mesma via ou 70% se é outra via. A Sistema Integrado Datasort está preparado para assimilar estes ou outros possíveis valores ?
FATCIRU1R) O Sistema não sabe qual é a cirurgia principal, nem se a 2ª é realizada pela mesma via ou por outra via de acesso.

Você deverá informar, na tela onde informa o procedimento realizado, qual o desconto a ser dado sobre o valor do procedimento. O cálculo relativo à acomodação é realizado de acordo com o que for informado no campo acomod., de acordo com a seguinte regra:

A- apto: dobra o valor
Q- quarto individual : acréscimo de 50% sobre o valor
E (ou não preencher)- enfermaria: cobra o valor simples

      

 

 

FATURAMENTO Glosas

FATGLOSA1P)O recurso de Glosa da Marítima é preciso gerar o XML. Antes eu baixava do site da Marítima o demonstrativo de glosa e através dele fazia o recurso. Agora a Marítima não tem mais esse demonstrativo. Como eu faço para gerar arquivo apenas das contas glosadas?

FATGLOSA1R) Favor usar o módulo "RecursoGlosa.exe". Na opção "arquivo / recursar conta", informar o nº da conta (nº do faturamento) e fazer o recurso. Após fazer o recurso de todas as contas, ir na opção "arquivo / gerar xml recurso.

      

 

FATURAMENTO TUSS

FATTUSS1P) No Parâmetros do Convênio encontramos uma opção do TUSS (colocar "S " para sim ou "N " para não ). Quando coloco para sim, o arquivo XML é gerado com os códigos do TUSS ?. 
FATTUSS1R) Quando adotamos a opção SIM o arquivo XML é gerado com os códigos TUSS.

FATTUSS2P) Quais são as novidades da nova TISS versão 3.0 ?
FATTUSS2R) Nova versão traz algumas novidades, entre elas a rastreabilidade das
faturas eletrônicas e a inclusão das terminologias em saúde e seus códigos unificados nas guias.


A Comissão de Estudo Técnico TISS realizou a terceira edição do Implanta TISS – TUSS, na última segunda-feira (19), em São Paulo. O tema central do evento foi a nova versão da TISS, a de número 3.0, que deverá ser lançada no final de abril, segundo o gerente geral de Integração Setorial da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Antonio Carlos Endrigo.


A nova versão traz algumas novidades, entre elas a rastreabilidade das faturas eletrônicas – que permitirá aos prestadores identificar as guias pagas e as glosadas – e a inclusão das terminologias em saúde e seus códigos unificados nas guias.


A ANS publicará uma Resolução Normativa disponibilizando a versão 3.0 da TISS, além de definir prazos para adequação às novas regras. A partir da nova versão e da validação da futura resolução, todas as guias trocadas entre prestadores e operadoras de planos de saúde deverão ser enviadas para a agência.


Outra medida será a realização de oficinas de treinamento sobre o novo programa, desta vez com especial enfoque nas empresas de tecnologia envolvidas no processo de transferência de dados.


Para o representante da Orizon, Sérgio Santos, a versão 3.0 deve ser mais atrativa, porque traz mais benefícios às instituições. Segundo ele, a possibilidade de rastreabilidade das guias é um forte argumento para que o mercado adote rapidamente a nova versão.


TUSS

Até o momento, às vésperas do lançamento, Terminologia Unificada da Saúde Suplementar conta com 108.378 termos codificados. Segundo Antonio Carlos Endrigo, a agência ainda não sabe se vai conseguir lançar a nova versão contemplando todos os códigos, ou se terá que deixar de fora os materiais, as órteses e as próteses. A dificuldade, segundo ele, é a diversidade de fornecedores de cada produto, as combinações possíveis entre os tipos de produtos e a relação desses códigos com a precificação.

      

 

RECEPÇÃO

Recep1P) O cadastro do paciente no módulo recepção deve seguir um padrão (Ex. Nome completo sem abreviação e sem acento)?
Recep1R) O cadastro dos pacientes pela recepção deve seguir um critério estabelecido pelo próprio usuário; sugiro NUNCA abreviar os nomes e sobrenomes e NUNCA utilizar caracteres acentuados (~, ', etc)

RECEP2P) Eu consigo emitir Mala direta através do sistema?
RECEP2R) A mala direta pode ser encontrada em pacientes / imprimir / cadastro (no caso de mala direta para pacientes) ou no módulo CADEMP (para mala direta para empresas previamente cadastradas pela recepção)

RECEP3P) O médico poderá imprimir na guia SADT?
RECEP3R) NÃO. Quem imprime esta guia é o setor de Recepção (parcial) ou Faturamento (já preenchida, após o atendimento pelo médico, exames, procedimentos, etc...).

RECEP4P) Onde são alterados os dados CNES e o CNPJ da empresa no sistema ?
RECEP4R) A alteração deverá ser feita no módulo SLFWO (Faturamento) na opção UTILITARIOS ->INDENTIFICAÇÃO.

RECEP5P) Como faço para incluir o histórico do paciente ?
RECEP5R) No consultório médico, onde o prontuário é 'bloqueado' (ele é aberto somente para leitura), o médico tem que clicar no botão 'HISTÓRIA' para escrever a história do paciente. Após a confirmação, ao clicar OK, o texto que escrito é incluído no prontuário, não sendo possível nenhum tipo de alteração.

RECEP6P) Como eu faço para DISPENSAR um paciente que já fez sua ficha na recepção e NÃO foi atendido pelo médico?
RECEP6R) No módulo SLFWO, pressione a tecla F8-procurar paciente>escolher o numero de atendimento>F4-Excluir atendimento. Sugerimos que esta opção deva ser permitida apenas a Gerentes / Coordenadores de Setores de Atendimento, pois ela causa impacto direto no faturamento.

RECEP7P) É possível eliminar o cadastro de um paciente do sistema ?
RECEP7R) Não, em hipótese alguma. Somente será possível a eliminação de um ou de todos os seus atendimentos.

RECEP8P) O setor de recepção poderá emitir um receituário ou solicitação de exame ou solicitação de Terapias para um paciente que já foi atendido por médico?
RECEP8R) Não. Somente o profissional habilitado (médico) tem direito ao acesso ao módulo de consultórios. Logo, todo o paciente que necessitar de um receituário, por exemplo, deverá ser encaminhado ao consultório onde o médico está atendendo, através da opção do módulo de Recepção SLFWO:

F8-localizar o paciente>PACIENTE>REENVIAR PARA CONSULTÓRIO.

RECEP9P) Dois usuários poderão acessar um mesmo consultório médico ao mesmo tempo?
RECEP9R) Não. O sistema não poderá gerenciar/administrar de quem é a prioridade no manuseio das informações.

RECEP10P) Podemos usar ~ ^ ç ` ´ no cadastramento de paciente, convênio, planos, etc...?
RECEP10R) É FORTEMENTE recomendado NÃO utilizar caracteres acentuados (~ ^ ç ` ´) no cadastro de pacientes, exames, convênios, etc para facilitar a procura e para que não haja problema no envio do arquivo eletrônico xml TISS.

      

 

CONSULTÓRIO

Consult1P) Quando entro na tela do consultório dos médicos, no item procedimento e exame está aparecendo como diagnóstico, aparece o CID e a nomenclatura, não está aparecendo a tela de procedimento e nem de exame. O que acontece?
Consult1R) Sempre que o médico for solicitar um procedimento ou um exame abrirá a tela para informar (ou confirmar) o diagnóstico; só então aparecerá a tela dos procedimentos ou exames.

Consult2P)Como é que eu faço para imprimir no próprio receituário do centro médico?
Consult2R) O sistema está preparado para a impressão de formulários através do módulo de CONSULTÓRIO.

CONSULT3P) Quando o médico dá uma terapia, ele faz todo o procedimento até sair a impressão, desta forma sai descriminado qual é o tipo de terapia quantas sessões e etc. Porém está informação não sai no prontuário do paciente. Como proceder?
CONSULT3R) Se a terapia for solicitada utilizando o botão TERAPIAS, isso é gravado no prontuário do paciente.

CONSULT4P) O médico pode solicitar um EXAME e imprimir na guia SADT?
CONSULT4R) É possível solicitar um exame e imprimir a guia de SADT. Para isso é necessário utilizar uma folha A4 (e não o receituário) e clicar no botão que tem a imagem da impressora, em vez de clicar no botão OK.

CONSULT5P) O médico poderá imprimir na guia SADT?
CONSULT5R) NÃO. Quem imprime esta guia é o setor de Recepção (parcial) ou Faturamento (já preenchida, após o atendimento pelo médico, exames, procedimentos, etc...).

CONSULT6P) Como faço para incluir o histórico do paciente ?
CONSULT6R) No consultório médico, onde o prontuário é 'bloqueado' (ele é aberto somente para leitura), o médico tem que clicar no botão 'HISTÓRIA' para escrever a história do paciente. Após a confirmação, ao clicar OK, o texto que escrito é incluído no prontuário, não sendo possível nenhum tipo de alteração.

CONSULT7P) Dois usuários poderão acessar um mesmo consultório médico ao mesmo tempo?
CONSULT7R) Não. O sistema não poderá gerenciar/administrar de quem é a prioridade no manuseio das informações.

      

 

EQUIPAMENTOS

EQUIP1P) Qual a configuração mínima de uma estação de trabalho (terminal de computador), necessária ao funcionamento do Sistema Integrado Datasort:

EQUIP03P) São necessários que outros equipamentos de rede/informática, necessários ao funcionamento do Sistema Integrado Datasort:

Sugerimos fortemente, a adoção dos equipamentos abaixo:

      

 

BANCO DE DADOS

BD1P) Qual o sistema gerenciador de Banco de Dados - SGBD, que é utilizado pelo sistema?
BD1R) Poderão ser usados o PostgreSQL que é gratuito, ou o Oracle.

      

 

CIRURGIA

CIRU1P) No cálculo de cirurgias, a regra diz que a cirurgia principal é paga 100% (apto valor dobrado - enfermaria valor simples) e para as cirurgias secundárias é pago 50% se mesma via ou 70% se é outra via. A Sistema Integrado Datasort está preparado para assimilar estes ou outros possíveis valores ?
CIRU1R) O Sistema não sabe qual é a cirurgia principal, nem se a 2ª é realizada pela mesma via ou por outra via de acesso.

Você deverá informar, na tela onde informa o procedimento realizado, qual o desconto a ser dado sobre o valor do procedimento. O cálculo relativo à acomodação é realizado de acordo com o que for informado no campo acomod., de acordo com a seguinte regra:

A - apto: dobra o valor
Q - quarto individual : acréscimo de 50% sobre o valor
E (ou não preencher)- enfermaria: cobra o valor simples

      

 

COMUNICAÇÃO

COMU1P) É obrigatória a instalação de uma VPN para manutenção do Sistema Integrado Datasort?
COMU1R) É altamente aconselhável a instalação de uma conexão remota para comunicação da empresa com o corpo técnico da Datasort Informática. Esta ligação agiliza muito a resolução de dúvidas na utilização do sistema, na solução dos possíveis problemas e também na implementação das alterações do Sistema.

      

 

REDES

A Datasort, não instala infra-estrutura de redes, não vende nenhum equipamento (servidor, terminais, concentradores, etc...) componente da mesma e não faz o gerenciamento nem o treinamento de pessoal para a sua administração e operação. Logo, toda e qualquer responsabilidade quanto a infra-estrutura, ao funcionamento e manutenção da rede de computadores da empresa fica a cargo da mesma

      

 

RELATORIOS

RELA1P)Tem como incluir relatório Padrão?
RELA1R) NÃO é possível incluir um relatório padrão. Pode-se tentar utilizar a opção EXAMES para se fazer alguns relatórios específicos, porém sempre aparecerá um cabeçalho solicito para o Sr ..... O módulo SLFWO>TABELAS>Exames, poderá atender suas necessidades.

      

 

MENSAGENS

MENSA1P) A mensagem *An error while attempting to initialize the Borland Database Engine (error $2109)* aparece e o sistema acaba não inicializando/funcionando. O que pode estar acontecendo?
MENSA1R) Nesta maquina não está instalado o cliente do sistema integrado Datasort. Geralmente o erro mencionado ocorre, quando o equipamento foi trocado por outro, onde o sistema estava anteriormente instalado.

Uma nova instalação do cliente do sistema integrado Datasort, precisará ser efetuada.

MENSA2P) Foram feitos testes dos arquivos XML a serem enviados em um programa de validação da Tivit e surgiram os seguintes erros abaixo:
Validando arquivo #1: SUL AM_HI.xm.
ERRO: 18 || 45 || cvc-enumeration-valid: Valor '2.01.02' não corresponde às opções '[2.01.01]'
MENSA2R) O que fazer ?

O programa da Tivit não deve ser usado para validação, pois ele está no padrão antigo (Ex. 2.0.01) e não no padrão (Ex. 2.01.02). Caso você queira validar o arquivo XML gerado, use um dos endereços abaixo:

http://tools.decisionsoft.com/schemaValidate/
http://evandro.net/tiss/tiss.php
http://www.geap.com.br

MENSA3P) O arquivo XML enviado pela empresa está com problema na tag origem, conforme modelo abaixo.

Recebido: <ans:codigoPrestadorNaOperadora>64616998000136</ans:codigoPrestadorNaOperadora>

Quando a informação for um CNPJ deve vir conforme o modelo abaixo, caso contrário o sistema não consegue identificar o prestador.

<ans:CNPJ>64616998000136</ans:CNPJ>

MENSA3R) O que fazer?

No caso em que NÃO há CÓDIGO do convênio e você precisa usar o CNPJ, o campo MATRÍCULA no cadastro do convênio NÃO deve ser preenchido. Assim o sistema grava o arquivo XML com a tag CNPJ correta (se esse campo for preenchido, o sistema pensa que o valor é o código ...).

MENSA4P) A mensagem de erro abaixo foi encaminhada pelo convênio médico / intermediário, quando do processamento do arquivo XML enviado: O recebimento do arquivo eletrônico gerou o erro abaixo, solicitamos a devida regularização para o reenvio.

Arquivo......: SAOCRISTO01112007_HI.xml / Enviado por..: NÃO CADASTRADO / Reg.Transacao: 31/10/2007 / Tipo ........: guiaHonorarioIndividual / Prest.Origem.: 64616998000136 / Prest.Interno: 64616998000136 / Registro ANS.: 314218 / Erros Encontrados:PRESTADOR NÃO IDENTIFICADO

MENSA4R) O que fazer?

Sempre que o CÓDIGO da Empresa junto ao convênio for o CNPJ da empresa, o campo MATRÍCULA (TABELAS>HONORÁRIOS>PARÂMETROS) NÃO deve ser informado.

      

 

PRONTUÁRIO

PRONTU1P) Uma empresa trabalha com duas especialidades diferentes, ginecologia e ortopedia. Isto não interfere no prontuário de cada médico?
PRONTU1R) O prontuário é SEMPRE do paciente e o mesmo é único, independente da especialidade. O sistema trata como se fossem a mesma coisa.

      

 

MANUAIS e TUTORIAIS

0) DEMONSTRAÇÃO: http://www.datasort.com/tutoriais/demo.htm

1) CONTROLE DE PONTO: http://www.datasort.com/tutoriais/pontoadm.htm

2) MATERIAIS (Tutorial): http://www.datasort.com/tutoriais/slf-materiais.htm

3) CID: http://www.datasort.com/tutoriais/slfw-cid.htm

4) EXAMES: http://www.datasort.com/tutoriais/slfw-exames.htm

5) MEDICOS: http://www.datasort.com/tutoriais/medicosr.htm

6) RECEITUARIO: http://www.datasort.com/tutoriais/slfw-receita.htm

7) USUARIOS: http://www.datasort.com/tutoriais/usuarios.htm

8) FISIOTERAPIA (Cadastrar Paciente): http://www.datasort.com/tutoriais/fisio_cadpac.htm

9) FINANCEIRO (Definições básicas): http://www.datasort.com/tutoriais/planoctas1.pdf

10) EMPRESAS (Cadastramento): http://www.datasort.com/tutoriais/dadosemp.htm

11) CONVENIOS MEDICOS (Planos e Padroes): http://www.datasort.com/tutoriais/convenios_planos.htm

12) TABELAS(Cadastramento): http://www.datasort.com/tutoriais/convenios_cad_tabelas.htm

13) CIRURGIAS (Geral): http://www.datasort.com/tutoriais/cirurgia_geral.htm

14) PACIENTES (Cadastramento de consulta): http://www.datasort.com/tutoriais/cadpac_consulta.htm

15) CONSULTORIOS MEDICOS / SALAS RX / SALAS GESSO / GUIAS (Cadastramento): http://www.datasort.com/tutoriais/cadconsultorio.htm

16) UTILITARIOS (Aviso): http://www.datasort.com/tutoriais/aviso.htm

17) AGENDAMENTO (Consulta Medica): http://www.datasort.com/tutoriais/agenda_co.htm

18) AGENDAMENTO (Fisioterapia, Acupuntura, etc...): http://www.datasort.com/tutoriais/agenda_ft.htm

19) FISIOTERAPIA (Ver Presenca): http://www.datasort.com/tutoriais/vpresenca.htm

20) FATURAMENTO:

Manual Faturamento CONVENIOS: http://www.datasort.com/tutoriais/Datasort_Cadastro_de_tabelas_2014.pdf 

Manual Faturamento MATERIAIS: http://www.datasort.com/tutoriais/Datasort_Materiais_2014.pdf 

Manual Faturamento PARTICULAR: http://www.datasort.com/tutoriais/faturapart_slfw.pdf 

Manual TABELAS: http://www.datasort.com/tutoriais/tabelas_slfw.pdf 


21) BANCO DE DADOS PostgreSQL e ODBC (MS-WINDOWS):

Manual de Instalação do BANCO DE DADOS PostgreSQL: http://www.datasort.com/tutoriais/instalarpostgresql.pdf

Manual de Instalação do ODBC do Banco de Dados PostgreSQL: http://www.datasort.com/tutoriais/instalarclientesslfw.pdf

BACKUP - Banco de Dados PostgreSQL: http://www.datasort.com/tutoriais/BackupPostgres.pdf

RESTORE - Banco de Dados PostgreSQL: http://www.datasort.com/tutoriais/PostgresRestore.pdf


      

 

PAINEL DE CHAMADA  e  PAGERS

PA01P) Qualquer painel de senha funciona com o sistema integrado Datasort ?

PA01R) Não. O protocolo do harware (painel) tem que ser compatível com o sistema integrado Datasort – GECLIM.

 

PA02P) Como integrar um painel do fabricante WYMA, com protocolo compatível com o sistema GECLIM ?

PA02R) A integração com o painel da Wyma é feita da seguinte forma:

1- o painel deverá ter o nº 01 (esse nº aparece no display ao se ligar o painel).

2- conectar o cabo serial do painel no computador (a porta serial deverá estar configurada para 1200 bits por segundo, bits de dados 8, paridade nenhum, bits de parada 1, controle de fluxo nenhum).

3- criar uma impressora genérica / somente texto conectada à porta serial do painel (ex. COM2:)

4- compartilhar a impressora acima, dando-lhe o nome de PAINEL

5- "instalar" essa impressora (PAINEL) nos consultórios

6- informar o nº da senha no 1º campo (senha) da tela de cadastro do paciente (veja tela anexa) e envia-lo para o consultório

7- chamar o paciente no consultório clicando no botão "chama"

 

PA03P) Como funciona a rotina do painel de senha ?

PA03R) O nosso sistema, para chamar o paciente, grava um arquivo texto em uma pasta compartilhada, por exemplo:

.. Arquivo chamado "9999999.txt" (onde "9999999" é o nº do atendimento) numa pasta '\\192.168.0.240\c\Chamada\' (o IP e o nome da pasta são fictícios) com o seguinte conteudo:

.. linha 1: tipo da chamada (consultório, sala raio-x, sala gesso)
.. linha 2: nº da
senha (ex: 123) ou nome do paciente
.. linha 3: nº da sala

Dessa forma, o programa que vai efetivamente realizar a chamada na televisão deve ler os arquivos .txt gravados na pasta compartilhada, fazer a chamada na tv e apagar o arquivo.

É assim (através de um arquivo texto gravado numa pasta compartilhada) que é feita a integração entre o nosso sistema e outros sistemas de chamada, raio-x digital, etc..

ET. O nº da senha (que é gravado no arquivo texto) é informado pela recepção na hora do cadastro do paciente, porém não é gerado Pelo sistema GECLIM

 

PA04P) O sistema GECLIM faz uso de outro dispositivo de chamada de paciente ?

PA04R) Sim, temos alem dos paineis mencionados anteiormente, os 'PAGERS'  da empresa LRS. Seguem abaixo os dados de contato:

Maria Elisa Namura - Account Manager
Long Range Systems do Brasil
Av. Dr. Yojiro Takaoka, 4384 – Sobreloja - Sala 18
Alphaville - São Paulo - Brasil - CEP: 06541-038
Tel. +55 11 4153-1130
Cel. +55 11 99574-1454
mariaelisa@pager.net
www.lrspager.com.br

      

 

INSTALAÇÃO GECLIM

INST01P) Se a máquina (estação de trabalho) estiver rodando windows vista ou 7, como adequá-la ao sistema ?

INST01R) Resposta:

1- fazer logon no windows como administrador e instalar o sistema em um microcomputador

    1.1- instalar o sistema atraves de um duplo clique no arquivo instalaSLFW.EXE no servidor de dados na pasta publica slfw (Ex. \\192.168.0.1\c:\slfw\instalaSLFW.exe)
    1.2- atualizar os executáveis copiando os arquivos que estão no servidor de dados para seu terminal (Ex. xcopy \\192.168.0.1\c:\slfw\*.exe c:\slfw /d)

2- dar permissão total ao BDE:

    2.1- executar o editor de registro do windows: iniciar / executar / regedit
    2.2- procurar a chave: HKEY_LOCAL_MACHINE / Software / Borland
    2.3- clicar com o botão direito sobre a chave Borland, clicar em permissões, Usuários, clicar na caixa Controle total

    2.4- fechar o regedit

3- configurar NET DIR (BDEADMIN):

    3.1- procurar a pasta c:\Arquivos de Programas\Common Files\Borland Shared\BDE
    3.2- executar BDEADMIN, clicar na aba configuration: expandir configuration, drivers, native
    3.3- clicar em PARADOX e mudar o valor da chave NET DIR para C:\WINDOWS\TEMP
    3.4- fechar o BDEADMIN

4- dar permissão total (leitura/escrita) a todos o usuários na pasta C:\WINDOWS\TEMP:

    4.1- procurar a pasta C:\WINDOWS\TEMP
    4.2- clicar com o botão direito, selecionar propriedades, segurança, editar
    4.3- selecionar o usuário e clicar em controle total
    4.4- clicar em aplicar e fechar a caixa

5- Para instalar o ODBC

    5.1- Acesse o endereço referente ao Manual de Instalação do ODBC do Banco de Dados -http://www.datasort.com/instalarclientesslfw.pdf e siga as instruções

    5.2- Caso estiver utilizando o MS-Windows 7 - 64 bits, utilizar o aplicativo ODBCAD32.EXE que se encontra na pasta C:\Windows\Syswow64